SUCESSO- Potiguar é selecionada para expor obras de arte em Londres

Obra de arte da artista Luiza Fonseca | Foto: Reprodução/Instagram

Qual artista plástica não sonha em ser reconhecida por seu talento, primeiro em seu país de origem e, depois, com a ajuda da internet, conquistar públicos de outros lugares do mundo? Para Luiza Fonseca, esse sonho começa a ser realizado.

A jovem de 24 anos, nascida em Natal, Rio Grande do Norte, acaba de ser selecionada, por meio de votação virtual, para expor seus trabalhos na Brick Lane Gallery, em Londres, na Inglaterra. A notícia foi divulgada no perfil da galeria no Instagram.

A disputa, realizada na rede social, fez com que Luiza recebesse o apoio de muitos admiradores, alguns que até então não conhecia: “essa conquista é resultado direto dessa mobilização, das pessoas que acreditaram em meu trabalho, isso me deixa emocionada, saber que minha arte consegue tocar as pessoas com essa amplitude”. 

Entre 2017 e 2018, Luiza atuou como bolsista no Setor de Editoração da Secretaria de Educação a Distância da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (SEDIS/UFRN), quando era acadêmica do Curso de Design. Em 2019, ela concluiu a faculdade, mas, em 2020, reingressou na UFRN para cursar Licenciatura em Artes Visuais. Depois de participar de uma nova seleção, voltou ao Setor de Editoração da Secretaria, para aprender mais e, ao mesmo tempo, aprimorar os traços. 

Meu trabalho carrega um estilo realista e costumo me basear em fotografias que tiro, por isso, também vejo minha obra com um forte caráter autobiográfico”, é assim que ela define sua arte. Ao se referir à Sedis, ela destaca a liberdade criativa e fala, com orgulho, de um livro que ilustrou: “o tema da obra envolvia o corpo, eu fiz tanto a diagramação do miolo quanto a capa. Dediquei-me a fazer uma pintura em guache sobre papel para integrar a capa e as páginas capitulares. Adorei o resultado final”.  

A Brick Lane Gallery apresenta uma grande variedade de arte urbana contemporânea e de rua de autoria de artistas britânicos e de outros países. O foco da galeria é apoiar artistas emergentes. No salão, são apresentados trabalhos inovadores em pintura, escultura, fotografia, performance, vídeo e em papel. 

A exposição de Luiza Fonseca ainda não tem data marcada, mas, até a definição, ela curte essa expectativa falando da obra que carimbou seu passaporte para a Inglaterra. De acordo com ela, “o trabalho que participou da votação é uma pintura em acrílico sobre tela e foi o primeiro de uma pequena série de autorretratos que fiz durante a quarentena”. Agora, ela planeja realizar vaquinhas virtuais para conseguir os recursos para custear as despesas com passagens e hospedagem. Para conhecer mais sobre a trajetória da artista potiguar  acesse este link.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *