FAFÁ DE BELÉM‘Esse pecado eu não cometi’, diz Fafá de Belém sobre voto em Bolsonaro

FAFÁ DE BELÉM‘Esse pecado eu não cometi’, diz Fafá de Belém sobre voto em Bolsonaro

Descoberta ainda adolescente em sua cidade natal, Fafá de Belém gravou ao longo da carreira tanto MPB refinada como sertanejo e vendeu quase 9 milhões de cópias de seus trinta discos.

Sua imagem foi do cult ao brega — e, agora, volta a ser associada à música de prestígio. Humana, seu mais recente álbum, é um manifesto político, com letras que tratam de temas como insatisfação social e diversidade.

As opiniões de Fafá são tão versáteis quanto sua veia artística. Embora não se declare eleitora de direita, ela diz que o PT errou. E aponta a polarização como um mal do Brasil atual — não muito diferente da intolerância que, afirma, a fez ser hostilizada por parte da opinião pública quando a então “musa” das Diretas Já apoiou a eleição indireta de Tancredo Neves à Presidência, em 1984.

Aos 62 anos, Fafá continua chamando atenção pela beleza exuberante e mantém discrição sobre a vida pessoal (conta apenas que está solteira no momento). Na entrevista a avó de duas netas solta o verbo sobre política, Instagram e Lei Rouanet.

Seu novo disco inclui Revelação, sucesso politizado de Fagner dos anos 70.

Uma canção daquela época tem algo a dizer sobre o Brasil de hoje? Sim. Ela se conecta muito com o tempo atual, em que as pessoas defendem bandeiras sem saber direito o que significam e cobram um posicionamento dos outros. Fiquei quieta durante o impeachment da Dilma (Rousseff) e o governo do (Michel) Temer, apesar de ter sido cobrada pela direita e pela esquerda. E vou continuar na minha agora.

Em quem votou para presidente? Muita gente acha que votei no Bolsonaro. Esse pecado eu não cometi. Justifiquei meu voto, porque estava em Belém e moro em São Paulo”.Disse Fafá de Belém.

Deixe uma resposta