INVERNO- Cuidado com o mosquito da dengue deve ser redobrado – Carlos Felipe o Fera

INVERNO- Cuidado com o mosquito da dengue deve ser redobrado

INVERNO- Cuidado com o mosquito da dengue deve ser redobrado

A alegria do sertanejo com a chegada das chuvas é sem sombra de dúvidas motivo para comemorar e agradecer aos céus pela sua chegada,mas também é hora de se prevenir contra um inimigo que age em silêncio e o cuidado deve ser dobrado.

As pessoas ficam eufóricas com a chuvas mas esquece de um fator importante: Como acumular o líquido precioso devidamente.

Pequenos objetos como tampas de garrafa peti, sacos de pipoca, carteira de cigarro, qualquer pequeno acumulador de água pode se tornar um habitat para o mosquito aedes egypts.

O mosquito da dengue é sorrateiro e qualquer descuido pode se tornar um grande problema de saúde público.

Em 2019 São José do Seridó teve o menor índice de dengue do Estado graças ao cuidado da população e o excelente trabalho educativo e preventivo dos agentes municipais de endemias.

Atenção deve ser dobrada e a população pode contribuir cuidando dos seus reservatórios mantendo-os devidamente cobertos sem água acumulada indevidamente e muito cuidado com a água parada ela é um elemento multiplicador do mosquito.

O mosquito aedes Egypt é o transmissor de doenças como: Dengue , Chikungunya e zika vírus.

A população deve se mobilizar neste cuidado e se descobrir algum foco na sua rua ou no seu bairro comunicador aos agentes de endemias ou a secretaria de saúde a sua colaboração é de suma importância.

A dengue é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti. Após picar uma pessoa infectada com um dos quatro sorotipos do vírus, a fêmea pode transmitir o vírus para outras pessoa .

O mosquito Aedes aegypti é o vetor de diversas doenças, como a dengue, a chikungunya e a zika. O combate ao mosquito é a principal forma de prevenção a essas doenças.

O mosquito Aedes aegypti é o vetor de diversas doenças causadas por vírus, como dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Ao picar uma pessoa doente, o mosquito é infectado e pode transmitir a doença a uma pessoa sadia. No entanto, alguns estudos mostram que há casos de mosquitos que já nascem infectados pelo vírus da dengue, o que pode desencadear um grande problema de saúde pública.

Dengue

  • Sintomas: Na dengue clássica, o indivíduo apresenta febre alta, dores musculares e articulares, dores na cabeça e nos olhos, fotofobia (aversão à luz), inflamação na garganta, manchas avermelhadas e coceira na pele.
  • Na dengue hemorrágica, após a fase febril, os sintomas agravam-se, ocorre a queda da pressão arterial, aumento do tamanho do fígado e hemorragias, principalmente na gengiva e intestino.

Chikungunya

  • Sintomas: apresenta em seu quadro clínico febre alta, cefaleia (dor de cabeça), mialgia (dor nos músculos), dor lombar, náuseas, vômitos, conjuntivite e calafrios. No início, pode ser confundida com as demais doenças causadas pelo Aedes aegypti, principalmente a dengue, no entanto, causa fortes dores nas articulações, que podem perdurar por meses.

Zika

  • Sintomas:
  • O indivíduo apresenta febre baixa, conjuntivite não purulenta, dor de cabeça, vômitos, diarreia, dor abdominal e dor e inflamação nas articulações menos intensas que as ocasionadas pela chikungunya.
  • Os sintomas desaparecem em até sete dias. Deve-se ter uma atenção especial em relação à zika, pois ela está relacionada com casos de microcefalia em recém-nascidos e com o desenvolvimento da síndrome de Guillain-Barré, além de outras complicações neurológicas.

Deixe uma resposta