Facção de costura consegue habeas corpus e permanecerá com seus serviços em funcionamento na cidade de Cruzeta – Carlos Felipe o Fera

Facção de costura consegue habeas corpus e permanecerá com seus serviços em funcionamento na cidade de Cruzeta

Facção de costura consegue habeas corpus e permanecerá com seus serviços em funcionamento na cidade de Cruzeta

Em razão da pandemia do coronavírus (COVID-19), os órgãos do Ministério Público Federal e Estadual  expediram a recomendação, fiscalize o cumprimento das medidas restritivas de funcionamento de estabelecimentos comerciais estabelecidas pelo Decreto Estadual nº 29.541, de 20 de março de 2020.

Em razão da recomendação, determinou-se à Polícia Militar o fechamento das fábricas têxteis (facções) da cidade de Cruzeta .

A empresária Ambrosina Pereira teve sua unidade fechada atendendo a ordem do destacamento daquela cidade e buscou a justiça para questionar a ordem de fechamento.

O comandante do destacamento de Cruzeta, Sub-Tenente Ginane, atendendo recomendação do governo estadual, mandou fechar 2 unidades de costura existente naquela cidade,pertencente á senhora Ambrosiana Pereira

O escritório do advogado Flaci Costa  impetrou ordem de habeas corpus perante a juiz plantonista , no plantão desta madrugada e conseguiu habeas corpus em favor de empresária..

A juíza karyne Chagas de Mendonça Brandão- , plantonista desta madrugada, acolheu os argumentos do advogado Flací Costa, e determinou o regular funcionamento das fábricas, obedecidas as recomendações das autoridades sanitárias quanto à higiene do ambiente e dos funcionários.

”O chefe do destacamento la, subtenente Ginani tinha mandado fechar ontem. Só que o decreto da governadora não fala ainda em fechamento de industrias, Por enquanto, até segunda ordem.Mas entendo que a policia deve seguir estritamente o que foi determinado pelo Governo e não por conta própria, sair fechando o que der na cabeça, de acordo com a convicção de cada um.Destacou Dr. Flaci .

Deixe uma resposta