Homem é preso por importunação sexual na Grande Natal

Um homem de 29 anos foi preso nesta terça-feira (9) por importunação sexual, em Parnamirim, na Grande Natal. Pelo menos três mulheres afirmaram terem sido vítimas dele no bairro Nova Esperança. A Polícia Civil teve acesso a imagens de câmeras de segurança e conseguiu identificar o criminoso, que é servente de pedreiro. Em um dos vídeos, ele aparece em uma bicicleta que havia sido emprestada por um vizinho.

“Esses fatos criminosos ocorreram no fim de semana. As imagens de câmeras de segurança das casas foram divulgadas no grupo de WhatsApp dos moradores do bairro. Conseguimos identificar as três vítimas. Na segunda-feira, elas vieram à delegacia, registraram o boletim de ocorrência e colhemos as declarações dessas mulheres. A partir daí, saímos em diligências em busca do suspeito”, contou a delegada Luana Faraj, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Parnamirim.

O homem foi preso na casa de familiares, no bairro Passagem de Areia, próximo de onde residia. Segundo a polícia, ele ainda tentou fugir e abandonou a bicicleta em um matagal.

A delegada destacou que o servente de pedreiro, após ser detido, confessou os crimes cometidos no sábado (6) e no domingo (7), e contou como ele procedia. “Ele confessou integralmente a prática destes crimes. Ele disse que ingeria bebida alcoólica antes de praticar estes atos. Ele perseguia as mulheres, essas vítimas, que ele escolhia aleatoriamente. Não escolhia vítimas específicas por características físicas. Seguia estas mulheres, expunha os órgãos genitais e passava a se masturbar enquanto olhava para o corpo dessas mulheres”.

A Polícia Civil pediu a prisão preventiva do homem. Ele foi indiciado por importunação sexual. O crime prevê pena de um a cinco anos de prisão.

A Deam reforça o pedido para que, caso existam mais vítimas, seja feita a denúncia pelo telefone (84) 3644-6407. “Ele deve ter feito outras vítimas. É importante que estas mulheres compareçam à delegacia para que a gente possa apurar as situações, para que estes suspeitos fiquem presos e evitar que novos atos criminosos ocorram”, finalizou a delegada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *