Encontro Terapêutico –08 de Março – Dia Internacional da Mulher –Mulher, saúde mental não é coisa da sua cabeça.

O Dia Internacional da Mulher homenageia a luta das mulheres por sua participação, em pé de igualdade com os homens, na sociedade e em seu pleno desenvolvimento como pessoa.


Foi em 1977 que a Organização das Nações Unidas (ONU) proclamou oficialmente 8 de março como o “Dia Internacional dos Direitos da Mulher e da Paz Internacional” e, desde então, ano após ano, é comemorada a data em todo o mundo.


Mulher, saúde mental não é coisa da sua cabeça

Hoje é um dia de homenagens, mas não podemos deixar de falar sobre a saúde mental da mulher.


Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as mulheres sofrem muito mais de depressão que os homens, com uma porcentagem de diagnósticos de 70% para elas versus 30% para eles.
O Brasil é o país com as maiores taxas de depressão na América Latina.


Essa foi a conclusão do Relatório de Depressão e outros Transtornos Mentais Comuns, realizado pela OMS, que conclui que cerca de 5,8% da população tem a doença.


A depressão “é uma doença psiquiátrica crônica e recorrente que produz uma alteração do humor. É caracterizada por uma tristeza profunda, sem fim, associada a sentimentos de dor, amargura, desencanto, desesperança, baixa autoestima e culpa, assim como a distúrbios do sono e do apetite.”


Ainda de acordo a OMS, mulheres jovens, grávidas ou em período pós-parto (puerperal) e idosas representam a maioria das pessoas que sofrem com o transtorno, sendo que o índice de incidência entre elas chega a ser 150% maior do que entre homens.


Além das questões genéticas e hormonais que levam as mulheres a uma maior propensão à doenças de saúde mental, outra causa a ser considerada tem origem cultural e social: a enorme carga emocional decorrente do que se espera da mulher, pelo simples fato de ser mulher, implicando em uma demanda excessiva.


A boa notícia é que as mulheres são mais conscientes da necessidade de buscar ajuda.

“A saúde emocional pode ser definida como um estado de bem-estar, no qual cada pessoa desenvolve seu potencial, lida com as situações de dificuldades e tensões inerentes a nossa vida, pode trabalhar de forma produtiva e é capaz de contribuir com a comunidade em que está inserido.”
Mulheres na sociedade de hoje


A mulher de hoje se desenvolve em um meio que estimula a busca de muitos e novos objetivos, motivo pelo qual, frequentemente, acabam tendo que se dividir entre filhos, carreira, autorrealização, relacionamento, e ainda lidam com pressões estéticas e comportamentais.


Para piorar, ainda temos os assombrosos números de violência doméstica.
Como a psicoterapia pode ajudar?
• Evite desequilíbrios emocionais,
• Invista em comportamentos positivos,
• Aumente sua autoconfiança,
• Observe e analise seu próprio comportamento,
• Perdoe-se,
• Seja boa consigo mesma,
• Cuide de você mesma,
• Melhore sua alimentação,
• Pratique atividades prazerosas,
• Aprenda a relaxar.
A psicoterapia é importantíssima, pois, a depressão é algo que se enfrenta também com a escuta. A psicoterapia ajuda a pessoa a rever a maneira como encara a vida e ajuda a fortalecer os laços sociais.


“Na terapia você aprende mais sobre o seu humor, consegue identificar melhor seus sentimentos, aprende a identificar os pensamentos que pioram o quadro depressivo, consegue entender melhor seus comportamentos, entende como ter mais controle sobre sua vida, desenvolve defesas emocionais saudáveis para lidar com situações.”

Enfim, a melhor maneira de alcançar o equilíbrio emocional é através do autoconhecimento, da autoestima elevada e do amor próprio.


Maria Hemília Santos de Sales
Psicóloga Clínica – CRP 17/5404
Atendimento presencial e on-line – Crianças, adolescentes e adultos.
Agende sua consulta, contatos:

  • Celular: (84)98818-3387
  • Instagram: @psimhemilia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: