Encontro Terapêutico- As emoções e o corpo: Qual a relação entre eles?

Ao se pensar em desenvolvimento humano não se pode olhar apenas o aspecto dos sentimentos e emoções, mas também das sensações corporais que estão implicadas neste processo de viver as experiências como um todo.
Experienciar e sentir envolve perceber meu organismo de uma forma geral, na medida em que sentindo tristeza, posso também sentir um forte aperto no peito, por exemplo, pois cada emoção vivida também vem acompanhada de sensações internas e sensações corporais na pessoa.
Quando vivemos emoções é possível observar qual a relação dos afetos com a expressão corporal, sendo que muitas vezes estas reações orgânicas fogem ao controle do sujeito. Então, conhecer a si é também conhecer além dos afetos, as expressões e sensações corporais que estão envolvidas em uma emoção. Na rotina do dia-dia o indivíduo por muitas vezes não se percebe em suas reações, sensações físicas que também são importantes, pois conhecer-se implica também saber como as emoções se expressam em nosso corpo.
Juntos (emoção e corpo), numa relação de interdependência, fazem parte do indivíduo, influenciando em suas experiências e maneiras de agir.
Emoções e vivências corporais no indivíduo
As emoções podem estar associadas a:
• Doenças cardiovasculares;
• Câncer;
• Doenças infecciosas;
• Tremores;
• Sudorese;
• Falta de ar;
• Taquicardia;
• Boca seca;
• Dor de barriga;
• Tensão muscular;
• Liberação de endorfinas;
• Aumento do Hormônio Cortisol;
• Etc.
Sensações físicas, doenças crônicas e alterações hormonais são alguns exemplos que estão relacionados às emoções que o indivíduo vivencia. Assim como não se pode olhar para uma pessoa que está com câncer, por exemplo, sem olhar suas emoções e vivências psicológicas, também não se pode olhar para uma pessoa que está sentindo raiva, por exemplo, sem olhar para suas expressões corporais.
Uma criança, por exemplo, pode desenvolver ansiedade em um ambiente onde os pais não respeitam o espaço dela e a punem com facilidade. Para essa criança “estar ansiosa” foi a única maneira que ela encontrou naquele momento e naquele ambiente de viver as suas dificuldades.
Claro que também por ser ainda uma criança ela não tem os recursos psicológicos totalmente desenvolvidos. A ansiedade vivenciada se expressa a nível emocional e também através de expressões corporais e sensações físicas, como roer as unhas, sentir as mãos geladas, por exemplo.
As emoções são vividas no corpo também e estas sensações corporais precisam ser conhecidas, bem como a energia que as envolve para que o organismo do sujeito passe pelo processo de auto regulação, que nada mais é do que seu equilíbrio como um todo.


Maria Hemília Santos de Sales
Psicóloga Clínica – CRP 17/5404
Atendimento presencial e on-line – Crianças, adolescentes e adultos.
Agende sua consulta, contatos:

  • Celular: (84)98818-3387
  • Instagram: @psimhemilia
  • E-mail: psimhemilia@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: