VASCO EMPATA COM CORITIBA NO COUTO PEREIRA

O Vasco saiu na frente com German Cano, mas não conseguiu segurar o resultado e volta do Paraná com um ponto na bagagem, após empatar por 1 a 1 com o Coritiba, nesta terça, no Couto Pereira. Após o jogo, o técnico Marcelo Cabo aprovou a atuação, mas disse que o sentimento é de frustração pelo resultado.

– Realmente a equipe fez boa partida, viemos com a proposta de vencer o Coritiba. Acho que merecíamos. Quando você não leva três pontos fora de casa, leva um. Viemos com proposta de marcação mais alta, não podíamos deixar o Coritiba com a bola. Tiramos o pé do Wilson, que é muito qualificado. Tivemos empate técnico de posse de bola. Acho que Vasco fez grande jogo e quero parabenizar aos atletas pela busca da vitória… A gente fica com o sentimento de frustração, sai frustrado por não levar os três pontos – analisou Cabo.

O treinador elogiou o a evolução do Vasco e projetou o duelo com o líder Náutico, domingo, em São Januário.

O que a equipe apresentou em organização e entrega, subimos em organização. Infelizmente levamos gol numa jogada em que a posse era nossa. Vitória contra o Náutico nos dá os sete pontos que queríamos buscar em nove pontos. A equipe está evoluindo no 4-4-2. Esse jogo fora de casa foi o primeiro que terminamos com 11 jogadores. Tivemos expulsões contra Cruzeiro e Goiás – analisou Cabo.

Balanço do atual momento

Jogamos uma sequência de jogos muito em cima. Coritiba teve sete dias, então tiveram recuperação plena. Tivemos o jogo sábado e agora esse com viagem. O que me deixa muito otimista sobre o futuro do Vasco é porque temos o que evoluir dentro da competição. Vasco mudou sua plataforma de jogo e está em plena evolução. Comecei no 4-4-2 e terminei num 4-3-3, quase num 4-2-4. Então a gente foi ousado. Por isso nossa indignação de não levar os três pontos para a nossa torcida.

Elogio a Cano

Cano se cuida muito, é exemplar na alimentação, chega muito antes do treino. É muito integrado ao departamento fisiológico e científico. Você vê a volúpia e a entrega do Cano. No dia que a gente entender de que o Cano deve ser preservado, nós vamos preservar, mas não posso abrir mão do nosso maior artilheiro. Cano é uma referência, é um expoente dentro do Vasco da Gama. É um líder dentro do grupo junto com Castan, Romulo e Vanderlei. Não posso abrir mão do Cano a não ser que o departamento médico diga algo. Ele se doa para o Vasco, veste essa camisa na concepção da palavra.

Opção pela saída de Pec

Pela entrega, o Pec talvez tenha sido um dos melhores em campo. Mas a função dele desgasta muito. Ele é muito intenso. Por volta dos 30 minutos, a gente precisava dar uma repaginada na linha de três. O Jabá é um cara que agride muito e estava descansado e renovado. O Pec agride muito, mas a intensidade dele na recomposição e na saída já estava caindo. Como não tínhamos feito substituições, precisávamos dessa repaginada para ter volume e buscar a vitória. A equipe estava muito encaixada, por isso demorei um pouco para substituir.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Entrada de Arthur Salles

Primeiro quero parabenizar o departamento de futebol, com Pássaro, que criou uma logística para que ele pudesse jogar depois do jogo de domingo (pelo sub-20). É um jogador que a gente vem observando na base, pode jogar de 10, na beirada ou como centroavante. Temos que ter calma com ele. Tivemos boas chances com ele e com Figueiredo. É um jogador que já está inserido no nosso elenco. Estamos criando um planejamento com departamento científico para ter um ganho de massa, como o Riquelme, ir maturando. É um jogador de personalidade e temos muito carinho por ele. O Vasco é isso, base forte. Essa integração é importante com a base.

Ponto importante

Quando não dá para levar três, você leva um. A gente sai com sentimento de muita chateação pelo que tentou e não levou. A gente acaba levando um ponto.

Lesão de Romulo

O Romulo teve uma entorse, ainda não tenho um parecer de como ele está porque foi muito em cima da hora do jogo. Tive de dar uma reorganizada e quero ressaltar o bom jogo do Matias.

Duelo com líder Náutico

O Náutico vive um grande momento, tem a base de 2020 e um treinador muito experiente. A gente vai encontrar no Náutico o que encontrou no Sampaio Corrêa e no Coritiba. E o Vasco confronto os times do G-4 de igual para igual. Mas dentro desses nove pontos, a gente tem que fazer sete. Temos que ou entrar no G-4 na próxima rodada ou se aproximar bastante.

Desempenho dos meias

Achei que MT não fez um bom primeiro tempo e um excelente segundo tempo. Marquinhos fez um bom primeiro tempo e um segundo tempo não tão bom. Mas o Marquinhos é um expoente. Cobrei muito o MT no intervalo, ele não podia seguir fazendo um jogo burocrático. Para mim, o MT fez o melhor segundo tempo dele desde que passou a ser titular. Falei para ele que é um jogador de muita habilidade e força. Disse que ele não podia ser burocrático, tocar para trás e agredir a primeira linha do Coritiba. Uma pena que ele não conseguiu terminar o jogo pelo desgaste, mas fez uma grand partida.

Sistema de jogo

A gente criou um sistema de jogo diferente do Sampaio. A gente subiu um pouco mais a marcação para que não deixasse o Coritiba com o seu jogo de circulação, que é muito bom. Claro que em certos momentos do jogo o Vasco fez o Coritiba entrar na linha baixa. E nos 10 últimos minutos do primeiro tempo a gente baixou muito a linha, e isso me preocupou. Conseguimos corrigir.

Temos o sistema do 4-4-2. A equipe encaixou muito bem, estava encaixada. Você não é obrigado a fazer cinco substituições. Como a intensidade caiu um pouco, a gente deu uma repaginada. A equipe estava muito bem encaixada, com Pec e MT muito bem no jogo.

FONTE- GLOBO ESPORTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: