Pesquisas não indicam eleição de mudança ou continuidade no RN, mas adversários apostam na reeleição de Fátima

Pesquisas não indicam eleição de mudança ou continuidade no RN, mas adversários apostam na reeleição de Fátima

Aprovação variando entre 40 e 45 pontos percentuais. Desaprovação na faixa dos 40%. A síntese do quadro de avaliação da governadora Fátima Bezerra (PT) é de que a gestão dela divide os potiguares.

Não está claro se a eleição de 2022 no Rio Grande do Norte será de mudança ou continuidade. A situação da petista está em aberto.

A intenção de voto em Fátima também não ficou muito diferente dos 33%. Vale lembrar que em 2018 no auge do antipetismo ela partiu com índices semelhantes e quase venceu no primeiro turno.

Agora a situação é diferente, mas ela tem bons ativos políticos como o pagamento dos salários atrasados, redução dos índices de criminalidade e a volta da normalidade fiscal. Além, claro, do fator Lula que tende a puxar a votação da governadora.

As péssimas lembranças das gestões de Rosalba Ciarlini e Robinson Faria também são ótimos ativos políticos.

Talvez sejam esses fatores que levem o MDB e o PDT a abdicarem de liderar a oposição contra Fátima mesmo com Garibaldi Alves Filho liderando as intenções de voto para o Senado e Carlos Eduardo Alves (PDT) consolidado em segundo lugar.

Os primos Alves preferem a acomodação política a um embate em que correm o risco de saírem derrotados novamente.

Dentro do bolsonarismo, os ministros Rogério Marinho (PL) e Fábio (PSD) fogem de um embate direto contra Fátima preferindo uma disputa interna para ser o senador de um Bolsonaro rejeitado por mais de 60% dos potiguares.

Os dois preferem prepostos como o deputado federal Benes Leocádio (Republicanos) ou incentivar sacrifícios políticos de aliados como o prefeito do Natal Álvaro Dias (PSDB). Este último, por sinal, já oficializou que não será candidato a nada em 2022. O primeiro fracassou nas pesquisas de intenção de voto.

Apesar dos sinais de dúvidas do eleitor, os adversários de Fátima creem na reeleição dela. Os gestos falam mais que as palavras.

FONTE- BLOG DO BRUNO BARRETO

Deixe uma resposta