PROFESSOR E AMBIENTALISTA JOSIMAR ARAÚJO DESTACA SUCESSO RECOBRINDO CLAREIRAS FLORESTAIS COM O PLANTIO DA FAVELEIRA

O mestre Josimar Araújo têm dedicado boa parte do seu tempo para mostrar, com resultados , a importância de reflorestar o semiárido seridoense com a reposição de árvores que são importantes para o equilíbrio ambiental e suas beneficies para amenizar o processo de desertificação.


Josimar começou a cultura de reflorestamento utilizando a faveleira a mais de 2 décadas e seu projeto tem dado respostas.


Ele iniciou ainda no primeiro semestre do ano de 1999, quando visitando Chicão da Caatinga, trouxe para o viveiro de mudas da Escola Raimundo Silvino, 9 mudas de faveleira germinadas em frente à sua casa, nas chuvas daquele ano (o mesmo coletava sementes do vegetal para plantar e fazer fuba).


O professor e ambientalista conta que no final daquele ano plantou em área de criação de gado na localidade São Paulo, localidade morava o ambientalista e onde moram seus familiares até os dias atuais e o resultado foi que todas sobreviveram.


Foi a partir daquele momento, que segundo conta Josimar, começou a encontrar respostas para uma inquietação de quando ainda trabalhava no campo, na década de 1980: Como recobrir com vegetação clareiras florestais que estão transformando-se em áreas desertificadas na caatinga.


”O tempo passou. Muitos estudos foram realizados. Encontrei nas faveleiras de Chicão, respostas para minha antiga inquietação. Não paramos mais de plantar o vegetal.” Conta Josimar.


Só em 2022, já foi plantado mais de 500 unidades (inclusive, as sementes foram coletadas nas faveleiras plantadas em 1999).


Nesse sábado, 13 de março, em 3 lugares diferentes ,foram plantadas 80 mudas, informa Josimar. Por fim Josimar destacou a parceria de Maria Celma, filha de Chicão, nestas ações de reflorestamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.