admin – Carlos Felipe o Fera

Mecânico vestido de mulher é preso ao tentar fazer prova do Detran no lugar da mãe em RO

Um mecânico de 43 anos foi preso ao se vestir de mulher e tentar fazer uma prova prática do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) no lugar da mãe. O crime de falsidade ideológica aconteceu na terça-feira (10) no distrito de Nova Mutum Paraná, a 106 quilômetros de Porto Velho. O suspeito, Heitor Márcio Schiave, usava saia longa e estava maquiado no momento da prisão.

G1 ligou para a autoelétrica de Heitor, mas as ligações não foram atendidas. A reportagem tambémtenta contato com a defesa do suspeito e ainda não obteve retorno.

De acordo com a Polícia Militar (PM), uma servidora da comissão examinadora do Detran desconfiou que o homem que fazia a prova não era a mesma pessoa do documento de identidade apresentado aos avaliadores.

O mecânico já estava dentro do carro fazendo a prova de baliza quando outro servidor da autarquia chamou a PM para abordar o suspeito.

Ao chegarem no local da prova do Detran, os policiais constataram que o homem tentava se passar pela mãe e deram voz de prisão a ele.

O suspeito, então, disse aos policiais que a mãe estava no distrito de Triunfo, em Candeias do Jamari (RO), e não sabia da tentativa dele de se passar por ela no exame de direção. O mecânico foi levado à Central de Polícia em Porto Velho.

Segundo a Polícia Civil, Heitor teve o flagrante confirmado e permaneceu preso por ter sido enquadrado nos crimes de estelionato tentado e falsidade ideológica.

Segundo o poder judiciário do estado, o suspeito deve passar por uma audiência de custódia nesta quarta-feira (11).

Governo do Estado anuncia calendário de pagamento de dezembro e 13o salário

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte pagará o salário do mês de dezembro nos próximos dias 14 e 30. O critério de pagamento segue o mesmo do mês de novembro, com adiantamento integral a quem recebe até R$ 4 mil e 30% para quem recebe acima desse valor. A categoria da Segurança Pública também recebe integral no próximo dia 14. E os órgãos com arrecadação própria e a Educação, recebem tudo no dia 30. Já o último dia útil do mês de dezembro, 31, será reservado para o pagamento do 13º salário de 2019, dia seguinte ao repasse pela União dos R$ 160 milhões referentes ao leilão da cessão onerosa – recurso extraordinário essencial para quitação da folha. A depender do horário do repasse pelo Governo Federal, é possível que falte tempo hábil à instituição financeira para realizar todos os depósitos no mesmo dia e uma pequena parte do funcionalismo pode receber o salário dia 2 de janeiro. Hoje (6), o Governo do Estado concluirá mais uma operação a fim de obter recursos extras: a antecipação de parte dos royalties do petróleo e do gás natural. O processo está em fase final de análise documental. No último mês de agosto, a equipe financeira do Executivo conseguiu, com sucesso, a venda da folha do Estado pelo valor de R$ 250 milhões, descontando R$ 130 milhões junto ao Banco do Brasil para quitar a dívida de consignados deixada pela última gestão. Com a venda da folha e a operação dos royalties, o Executivo conseguirá R$ 300 milhões em recursos extras, o que viabiliza o pagamento do 13º salário dos servidores. Assim, será encerrado o ano com todas as 13 folhas de 2019 pagas em dia. Somado às folhas do corrente ano, também foi pago o passivo de dezembro de 2017, concluído no último mês de julho. Além disso, há possibilidade de amortizar parte das folhas em atraso de 2018 até 2 de janeiro, quitando 15 folhas. No mesmo período do ano passado, muitos servidores tinham recebido apenas 10 salários.

Primeira professora com Síndrome de Down do país, potiguar é homenageada em mostra da Turma da Mônica

A potiguar Débora Seabra, primeira professora com Síndrome de Down do país, é uma das homenageadas da mostra Donas da Rua da História, da Turma da Mônica. A exposição foi aberta nesta sexta-feira (6) e fica à disposição do público, com acesso gratuito, até o dia 20 de dezembro, no Midway Mall, em Natal.

A Donas da Rua de História homenageia 23 importantes mulheres que contribuíram para a história recente da humanidade em temas como as artes, ciência e o esporte, reinterpretadas pelas personagens da Turma da Mônica.

Nomes como o da escritora Carolina de Jesus, da artista plástica mexicana Frida Kahlo e da tenista Maria Esther Bueno estão entre as mulheres homenageadas pela exposição. Débora Seabra é a única potiguar entre as 23.

Ela é professora há mais de 10 anos e faz palestras no Brasil e em outros países, como Argentina e Portugal, sobre o combate ao preconceito. Quando mais nova, Débora sempre estudou em escolas da rede regular de ensino e se formou no curso de magistério, de nível médio, em 2005.

Em 2013, ela lançou o seu primeiro livro, chamado “Débora conta histórias”. A obra traz várias fábulas infantis que se passam na fazenda e têm animais como protagonistas. Embora sejam animais, eles precisam lidar o tempo todo com problemas humanos, especialmente o preconceito e rejeição por serem diferentes.

Em 2015, foi homenageada com o Prêmio Darcy Ribeiro de Educação, em Brasília. Ao escolher os homenageados, a Comissão de Educação levou em consideração critérios como originalidade ou caráter exemplar das ações educativas desenvolvidas pelos indicados ao prêmio.

JACARÉ, DO ‘É O TCHAN’, ABANDONA CARREIRA ARTÍSTICA E VIRA POLICIAL NO CANADÁ

O Jacaré, do grupo “É O Tchan”, largou a carreira de cantor e dançarino no Brasil, para viver um “grande sonho canadense” ao lado da mulher e das filhas. Mas, para conseguir se manter no país, Edson Cardoso agora trabalha como policial.

Nesta sexta-feira (6), a esposa de Jacaré usou as redes sociais para compartilhar um clique do maridão todo fardado de policial cuidando da segurança das ruas do Canadá.

“Um cara que estou pegando”, escreveu Gabriela Mesquita em sua conta no Instagram. No país, ela conseguiu se formar em Gestão Financeira.

Antes de se tornar policial, Jacaré começou trabalhando em uma agência de intercâmbio para ajudar outros brasileiros que estavam chegando no Canadá para morar.

Jacaré e Gabriela moram no país com os filhos de 6 e 3 anos.

Salário de servidores públicos cresce 23% em três décadas; no setor privado, há estagnação

A diferença salarial entre o que é pago para um trabalhador no setor público e privado aumentou nos últimos 32 anos. Entre 1986 e 2017, o salário médio mensal de quem trabalha no setor público cresceu 23,5%, em média, passando de R$ 3,4 mil, em 1986, para R$ 4,2 mil, em 2017. Já os rendimentos do setor privado se mantiveram praticamente estáveis no período: foram de R$ 2,5 mil para R$ 2,4 mil, no mesmo período.

Os dados constam na nova edição Atlas do Estado Brasileir o, levantamento feito por pesquisadores do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada ( Ipea ), publicado nesta sexta-feira. O estudo utiliza como base os dados da Relação Anual de Informações Sociais ( Rais ), que acompanha a evolução do mercado de trabalho formal no país.

O levantamento considera a remuneração de servidores federais, estaduais e municipais. Não entram no cálculo os funcionários das empresas públicas e de capital misto, como Petrobras e Eletrobras.

Também não são considerados fatores como escolaridade e natureza das ocupações. Para os pesquisadores, seria necessário um controle maior dessas especificidades.

— São setores difíceis de serem comparados, tem que ser feita de maneira cuidadosa. Existem carreiras que não são comparáveis, militares, diplomatas, por exemplo, mas é preciso um controle de escolaridade, serviços, que podem influenciar nessa média. O dado tem que ser lido com essa ressalva e vamos olhar isso mais à frente em outros estudos — afirma Felix Garcia Lopes, um dos autores do estudo.

Em outubro, um estudo do Banco Mundial apontou que o servidor público federal brasileiro ganha, em média, quase o dobro que o trabalhador do setor privado em área de atuação semelhante. A diferença do chamado “prêmio salarial” é de 96%, a maior entre 53 países pesquisados pelo órgão multilateral. Nos estados, essa diferença chega a 36%.

Segundo a pesquisa do Ipea, as remunerações no setor público ficavam estagnadas ou eram decrescentes de 1986 a 2002, mas passaram a crescer entre 2003 a 2014. Neste último, elas começam a se estabilizar. Se consideradas as três décadas de levantamento, o ganho real anual dos servidores público é de 0,73% ao ano.

O Globo

O fim está chegando para mim’, diz Tarcísio Meira após passar 11 dias internado

“Me assusta. Ninguém gosta de pensar que o fim está chegando. Mas ele está chegando para mim. É triste também lidar com a perda dos amigos”, comentou ele. “A esta altura da vida, muitos colegas da minha idade se foram. Daqui a pouco, vou eu. Talvez eu deixe um vazio nas pessoas”, completou.

Tarcísio conta que teve de passar seu último aniversário, em outubro, em uma cama de hospital. “Fiquei com uma pneumonia braba, e tivemos de adiar a estreia [de sua peça em cartaz, ‘O Camareiro’, em SP] em duas semanas. Ganhei festinha, bolo, os médicos e os enfermeiros cantaram ‘Parabéns’ para mim”, relembra.

O ator também lamentou estar fora da TV, assim como a sua mulher, a atriz Glória Menezes, 85. O último trabalho dele foi em 2018, em “Orgulho e Paixão”, enquanto o de Glória foi em 2015 com “Totalmente Demais”.

“Os autores não acreditam que existam velhos na família brasileira, nem que eles tenham papel relevante. Sabe como é, são jovens autores, que se preocupam com os jovens. O que eles deveriam saber é que hoje são as pessoas de idade que passam mais tempo na frente da televisão assistindo às novelas. E essas pessoas sempre acompanharam minha carreira e a da Glória”, finalizou o artista, que ainda confidenciou que os seus respectivos contratos com a Globo acabam em breve.

Diário de Pernambuco

Viatura da PM pega fogo no interior do RN

Uma viatura da Polícia Militar pegou fogo na noite dessa quinta-feira (5), no município de São Fernando, no Seridó Potiguar. De acordo com a corporação, as chamas teriam começado após um curto-circuito na parte elétrica do veículo e negou que o incêndio tenha sido provocado por ato de vandalismo.

“Não houve ataque. Os policiais tentaram apagar o fogo, mas não conseguiram com o extintor. Então, empurraram a viatura para um terreno baldio para evitar que pessoas pudessem ser atingidas”, informou a PM.

Em seguida, os bombeiros foram acionados e conseguiram conter o fogo. Ninguém ficou ferido na ação. Ainda segundo a Polícia Militar, a viatura era de Jardim de Piranhas, também no Seridó.Portal no Ar

Única karateca de Currais Novos vendeu dindim para chegar até o Campeonato Brasileiro e ser campeã

A Atleta curraisnovense, de apenas 19 anos, foi a única mulher da modalidade a estar presente no VIII Campeonato Brasileiro de Karatê-CTKB, que aconteceu no fim de novembro, na cidade de São Gonçalo.

Presente na categoria de 18 a 35 anos até a faixa roxa, Aparecida Luana era uma das representantes do RN na competição e trouxe consigo duas medalhas: ouro no Kata e prata em Kumite.

“Chegar no brasileiro foi difícil. Consegui me virar vendendo dindim, pedindo ajuda a população. Infelizmente ainda é muito difícil conseguir ajuda, principalmente em esportes de luta aqui no interior”, disse a atleta.

No ranking geral, o RN se sagrou campeão. Já Brasília e Pernambuco ficaram em segundo e terceiro lugar respectivamente.

O RN já é destaque no esporte também com dois atletas mossoroenses: Wilson Ribeiro e Dandara Chrystian, que seguem na seleção brasileira.Blog da Larissa Maciel

Atendimento para emissão de RG é ampliado em Centrais do Cidadão

A Secretaria de Estado da Administração (Sead), por meio da Coordenadoria de Atendimento ao Cidadão (Codaci), e o Instituto de Identificação do Rio Grande do Norte (ITEP-RN) ampliou o horário de atendimento em três unidades da Central do Cidadão em Natal: Via Direta, Alecrim e Zona Norte. O funcionamento nas unidades do Via Direta e da Zona Norte agora é das 9h à 20h; já na unidade do Alecrim é das 7h às 18h. O objetivo é oferecer mais comodidade aos cidadãos e aumentar o número de documentos de identidade emitidos.

O atendimento para emissão de RG nas referidas unidades deve ser agendado previamente pelo site. Para emitir o documento é necessário comparecer ao posto de atendimento do ITEP no dia marcado, com a seguinte documentação: 2 fotos 3×4, RG antigo, CPF, certidão de nascimento ou casamento e comprovante de residência. A primeira via é gratuita, já para a 2ª via é cobrada uma taxa de R$ 25,00 e para a 3ª via o valor é de R$ 35,00.PNA

Carreta tomba e interdita trecho da BR-304

Uma carreta tombou no início da manhã desta quarta-feira (4) na BR-304, no município de Itajá, na região Oeste do RN. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o veículo ocupa a rodovia e interdita o fluxo nos dois sentidos. Ainda não há previsão de liberação da pista.

De acordo com a PRF, a carreta seguia de Mossoró para Natal quando tombou. As causas do acidente ainda são desconhecidas. “Apenas veículos de passeio estão conseguido passar por fora da rodovia”, comunicou o órgão federal.

A PRF ainda acrescentou que o veículo transportava uma carga de mangas. Equipes da corporação estão no local.

PNA

Preços de frango e peixe preocupam depois da alta na carne bovina

O efeito do preço da carne vermelha, que subiu quase 20% nos últimos 15 dias no RN, no valor da carne de frango e do peixe está sendo analisado de perto pelo governo. A avaliação é de que a inflação de outras carnes seria um movimento natural de livre mercado, ou seja, com o aumento da procura por frango e também por peixe, é de se esperar que haja reajuste nos preços desses itens, principalmente nesta época de fim de ano.

No Ministério da Agricultura, a análise é de que o preço da carne vermelha deverá se estabilizar em um patamar de preços influenciado diretamente pelo custo internacional da proteína. Hoje, o preço da arroba do boi gordo – o equivalente a 15 quilos de carne – oscila entre US$ 40 e US$ 50. Se considerada a cotação desta sexta-feira, 29, com o dólar a R$ 4,23, chega a um preço de até R$ 201 pela arroba do boi.

Nesta semana, em São Paulo, a arroba, que era vendida até o mês passado por R$ 140, em média, chegou a ser negociada por R$ 231 (algo em torno de US$ 54). Isso leva o governo a crer que haverá, depois da “euforia” com as importações chinesas, uma “acomodação” do preço no mercado nacional, mas sem retornar ao patamar anterior.

Na quinta-feira, 28, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou que, além do efeito das exportações, é preciso considerar fatores internos, como o preço nacional cobrado pelo pecuarista, que estava sem reajuste há três anos, além da seca prolongada, que mexeu com a produção do boi gordo. “Sabemos que essa situação decorre de uma conjuntura de fatores. Agora, a arroba não vai baixar mais ao patamar que estava”, disse.

Frango

A ministra ainda brincou com repórteres quando foi questionada se estava consumindo carne vermelha, Tereza Cristina respondeu: “Estou comendo frango. Agora, é só frango”.

O mercado chinês tem apresentado uma variação brusca de preços. A tonelada da carne, que estava sendo exportada ao país asiático pelo preço médio de R$ 7 mil, já é negociada em R$ 6 mil.

O governo refuta qualquer risco de desabastecimento de carne no mercado nacional. O País tem hoje um rebanho de 215 milhões de cabeças de gado, ou seja, há mais bois no pasto que cidadãos no Brasil.

Na avaliação de economistas, a alta não só da carne bovina como de outras mercadorias agrícolas – como feijão (de 38,1%, no atacado, até a metade de novembro), café (5,6%) e frango (3,2%) – deve colaborar para uma aceleração da inflação nos próximos meses.

Governo deve publicar nova Política de Educação Especial

O governo se prepara para publicar um decreto alterando a Política Nacional de Educação Especial. A informação foi dada pela diretora de Acessibilidade, Mobilidade, Inclusão e Apoio a Pessoas com Deficiência do Ministério da Educação (MEC), Nídia Regina Limeira de Sá, durante sua participação no debate organizado pela Comissão de Educação da Câmara dos Deputados nessa semana. 

A primeira versão do texto foi elaborada em 1994. Seus termos, porém, passaram por revisão, ao longo dos anos.A edição de 2008 pretendia torná-lo um instrumento de coibição de práticas discriminatórias contra pessoas com condições como deficiências intelectual, mental e física e Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). A perspectiva, então, era de que todos os estudantes deveriam estar “juntos, aprendendo e participando”. O texto determina que a escola não deve reproduzir “padrões homogeneizantes”. 

Promessa de ampliação

Em entrevista concedida à Agência Brasil, Nídia Limeira de Sá disse que o texto que será divulgado foi construído em conjunto com “entidades representativas e pessoas que representam o público da educação especial, por meio de muitas reuniões, audiências públicas e consultas públicas”. De acordo com a diretora, a elaboração foi feita ao longo de dois anos.

Nídia classificou a política como sendo “a da flexibilidade para os sistemas educacionais”. “Ou seja, não entendemos que a educação para pessoas com deficiência ou TEA deva passar única e exclusivamente pelas escolas inclusivas comuns. Essa política oferece a flexibilidade no sentido de os sistemas se organizarem para poderem oferecer também, como alternativas, escolas especiais, classes especiais, escolas bilíngues [com aulas em língua portuguesa e Língua Brasileira de Sinais (Libras)], classes bilíngues”, afirmou.

“Você pode conseguir melhores resultados para o público da educação especial em classes especiais ou escolas especiais porque o foco dessa política estará na singularidade das pessoas, e não no grupo como um todo”, completou.

A representante do MEC informou também que a política que entrará em vigor criará dois centros específicos: um para estudantes com deficiência físico-motora e outro para quem tem deficiência intelectual, motora e TEA. Perguntada sobre os planos de implementação, Nídia se limitou a dizer que o governo pretende priorizar capitais dos estados. 

Como uma das principais críticas às turmas e às escolas especiais é o fato de que poderiam contribuir para a segregação, a reportagem perguntou a opinião da diretora do MEC sobre a questão. “As turmas separadas podem acontecer. Não são ilegais, nunca foram”, respondeu.

“A gente não quer que essa política signifique retrocesso em nenhuma das conquistas da inclusão escolar”, afirmou. “Temos satisfação de dizer que a nossa política é plenamente adequada aos marcos legais da educação inclusiva.”

Ensino comum

Parte dos especialistas em educação defende a matricula de todos os alunos em instituições de ensino comum é o caminho ideal. “A gente percebe o quanto essa possibilidade de estarem frequentando espaços comuns como qualquer outra pessoa é benéfico para o desenvolvimento deles, e isso a gente não pode perder de jeito nenhum”, disse Roseli Olher, supervisora de Atendimento Educacional Especializado do Instituto Jô Clemente, como é chamada agora a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de São Paulo.

Ela explicou que o trabalho gratuito realizado pela Apae, em parceria com a prefeitura de São Paulo, tem o objetivo promover a inclusão dos alunos com deficiência em turmas de ensino comum. Disponível para estudantes com idade entre 4 anos e 17 anos e 11 meses completos, o atendimento é feito por pedagogos especializados ou em educação inclusiva, ou em educação para pessoas com deficiência intelectual. Ao todo, atualmente, aproximadamente há adesão de 300 alunos.

A equipe faz visitas periódicas – duas vezes por semana – às escolas para verificar se os alunos estão realmente assimilando o conteúdo transmitido e se têm problemas com concentração ou relações interpessoais com seus colegas e professores. Cada encontro tem duração de uma hora e meia e é sempre marcado em um horário do contraturno escolar, para que a presença do aluno esteja garantida.

Segundo a pedagoga, o texto da política nacional que está sendo preparado não passou por consulta ampla a movimentos ligados à causa. “De que forma será feita a avaliação para definir o destino dessa pessoa [com deficiência ou TEA], se deve estar no espaço comum?”, questionou.

“[A matrícula no ensino comum] é benéfica tanto para a pessoa com deficiência quanto para a pessoa sem deficiência. É esse convite ao respeito à diversidade, as diferenças”, disse. 

Agência Brasil

Eleitores com mais de 70 anos precisam fazer a biometria

O eleitor com mais de 70 anos de idade, que quer continuar a votar, também deve participar da coleta de dados biométricos realizada pela Justiça Eleitoral. Embora a Constituição Federal determine que o alistamento eleitoral e o voto são facultativos para o cidadão nessa idade, no caso de revisão eleitoral, todos os eleitores, inclusive aqueles para os quais o voto é facultativo – maiores de 16 e menores de 18 anos, maiores de 70 anos e analfabetos – devem comparecer aos cartórios para o cadastramento biométrico.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, os idosos com mais de 70 anos que não participarem do procedimento de revisão podem ter seus títulos cancelados. O TSE informa ainda que não serão canceladas as inscrições de eleitores com deficiência que impossibilite o cumprimento das obrigações eleitorais, desde que a informação conste no cadastro.

Biometria

O cadastramento biométrico é o procedimento de coleta das impressões digitais, fotografia e assinatura, com a atualização dos dados cadastrais do eleitor. De acordo com o tribunal, a medida reforça a segurança da identificação na hora do voto e é uma oportunidade para a Justiça Eleitoral realizar a atualização dos dados, excluindo os eleitores que não comprovem vínculo com o respectivo município.

Segundo o TSE, até o início de setembro, 72% dos eleitores brasileiros já tinham realizado a biometria. O prazo estipulado pelo TSE é 2022, mas em alguns municípios a biometria tem que ser feita antes, sob pena dos eleitores terem seus títulos cancelados, levando a problemas como impossibilidade de se tirar passaporte ou até a possibilidade de interrupção do recebimento do Bolsa Família.

Para mais informações, os eleitores devem procurar as unidades de atendimento da zona eleitoral em que forem inscritos ou a Corregedoria Regional Eleitoral da respectiva unidade da Federação.